Já foi o tempo em que marcas ditavam regras em relação ao mercado, sendo o consumidor um mero coadjuvante neste processo de compra e venda. Hoje, com a informação brotando de todos os lados e a preocupação com hábitos saudáveis, meio ambiente e causas sociais que antes não chegavam ao conhecimento da grande maioria, este consumidor se tornou mais consciente e tem buscado adquirir produtos e serviços de empresas que, além de oferecerem opções de qualidade, tenham políticas internas que abracem genuinamente tais motivações.

Essa inquietação do consumidor foi impulsionada com a chegada da pandemia, trazendo à tona maior atenção aos cuidados com a saúde, natureza e os caminhos da humanidade.

Ao contrário do que se pensa, não só as grandes marcas estão atentas a essa transformação do mercado, pequenas e médias empresas também têm se organizado para implementar ações ligadas a sigla do momento, ESG, que traduzido do inglês é Governança Ambiental, Social e Corporativa.

No caso da Sabor das Índias, empresa de produtos gourmets à base de pimentas e frutas brasileiras, não foi preciso muito esforço para adequar ações, já que ela nasceu com tal intenção.

Entre suas diversas realizações está a parceria, desde 2016, com a Ampa - Associação dos Amigos do Peixe-boi, que luta pela proteção e conservação dos mamíferos aquáticos da Amazônia.

Parte dos lucros da linha Amazônia, da marca, é direcionada para a associação, com foco no Programa de Reintrodução dos Peixes-bois da Amazônia, espécie que se encontra na lista internacional de animais ameaçados de extinção.  O Programa resgata, reabilita, reintroduz e monitora estes animais, num processo que pode durar mais de 10 anos. O programa já devolveu 32 animais à natureza e mais 60 estão em processo de reintrodução.

Para Gustavo Moreira de Aquino, sócio-fundador da Sabor das Índias, nada mais justo que a linha de produtos da marca, que trabalha com produtos vindos da Amazônia, reverta uma porcentagem em favor da preservação do ecossistema. “Não fazemos mais que a nossa obrigação, temos consciência de que se não preservarmos os recursos naturais, a Terra entrará em colapso e aí a conta ficará impraticável”, enfatiza de Aquino.

A Sabor das Índias também pratica a responsabilidade social, já que trabalha diretamente com pequenos agricultores, viabilizando assim o sustento de 21 famílias em Minas Gerais, como também adquire produtos diretamente dos produtores ribeirinhos instalados na região dos rios Negro e Solimões.

“Somos felizes em colaborar para uma economia mais justa, onde todos trabalham para uma gestão responsável entre a cadeia produtiva e a comercial”, finaliza o empresário.

Pode te interessar

Ser uma empresa sustentável já é questão de sobrevivência

Accenture e Salesforce ampliam parceria para tornarem negócios mais sustentáveis

Em tempos de pandemia, sustentabilidade ganha ainda mais força