A inteligência artificial já nos ajuda no cotidiano há muito tempo. Desde afazeres simples aos mais complexos, nossas rotinas do dia a dia já se valem da tecnologia e dos computadores, que permitem a realização de tarefas de forma cada vez mais ágil e dinâmica. Nós nos comunicamos com a tecnologia de maneira tão natural que agora podemos até ser orientados por um robô quando precisamos de atendimento médico. É o que o Hospital Icaraí, de Niterói, coloca em prática ainda neste mês de setembro. Trata-se do sistema Laura, um robô que ficará disponível no site da instituição para instruir e guiar pacientes como a primeira forma de triagem.

A ferramenta robótica prevê suprir uma demanda informativa e a necessidade de nos orientarmos com uma equipe médica, em caso de identificação de alguns sintomas e enfermidades. Como os cuidados ainda devem permanecer durante esse tempo de enfrentamento ao novo coronavírus, a possibilidade de atendimento à distância com resultados confiáveis é outro ponto que conta a favor da inteligência artificial da robô Laura. Ela é planejada para responder com base nas observações médicas das equipes especializadas que desenvolveram o sistema e, apoiada em padrões de sintomas marcados de forma simples e intuitiva pelo paciente, pode recomendar ou não o atendimento presencial na unidade de saúde.

"A finalidade da implantação dessa alta tecnologia no HI é auxiliar e otimizar o trabalho dos profissionais do hospital, a fim de oferecer um serviço cada vez mais qualitativo, eficiente e em um período adequado, visando sempre ao principal objetivo da Casa, que é o de salvar vidas", afirma Biagio Ganino, diretor-médico do Hospital Icaraí.

As perguntas propostas pela robô Laura são diretas e, para respondê-las, o paciente que entrar no site do Hospital Icaraí precisará fornecer apenas nome, contato e o CPF, assim o sistema fará o registro e acompanhamento do usuário do serviço. Depois, o paciente responde a perguntas sobre quais as condições de saúde e sintomas perceptíveis, como temperatura alta, dores de cabeça e no resto do corpo, enjoos e outros. Ao fim do questionário, a robô Laura sinaliza por meio de cores (azul, amarelo ou vermelho) e mensagens qual é o procedimento para cada paciente, de acordo com a situação individual aparente, informando o passo a passo. As informações são mostradas ao paciente e vão direto para o sistema do Hospital, que fará o acompanhamento. Assim, o Hospital Icaraí é capaz de direcionar o paciente para um monitoramento remoto ou atendimento presencial.

O Hospital Icaraí é o primeiro da região metropolitana do Rio de Janeiro a se utilizar do serviço, já disponível em outros estados, tanto no sistema público quanto no sistema privado de saúde. A primeira triagem é de suma importância para evitar complicações de quadros de saúde dos doentes e também informar as medidas que devem ser adotadas nos casos mais brandos de maneira confiável.

Pode te interessar

Cinco passos para adotar inteligência artificial no atendimento ao consumidor

Atento combina transformação digital e sensibilidade humana para apoiar clientes da área de saúde

Digitalização no setor de saúde: a hora é agora