A transição de 19% para 56% da operação atendendo por meio de plataforma digital é hoje um dos exemplos de transformação pela qual empresas estão passando para se relacionar com o consumidor durante o isolamento social.

Os dados foram fornecidos pela Cruzeiro do Sul Educacional, que direcionou os canais de relacionamento para o WhatsApp, aplicativo que possui integração com o chat utilizado pelos colaboradores, e que estão solucionando de suas casas as dúvidas de candidatos ao vestibular dos cursos oferecidos pela Instituição.

Os números representam uma média de 110 mil atendimentos realizados por meio do aplicativo, sendo uma média de 70 mil solucionados apenas pelo robô de atendimento - o chatbot (59 mil atendimentos, em média, eram retidos pelo robô antes do isolamento social), e 40 mil pelos profissionais na plataforma, para as solicitações mais complexas (um número que não passava de 28 mil).

Cintia Marques, gerente comercial da instituição, explica que, em caso de uma necessidade por conta da pandemia, a operação está 100% treinada para atender via digital. "Essa experiência está nos mostrando o potencial de atendimento em termos de agilidade. Temos recebido feedbacks positivos e, ao mesmo tempo possibilitando que parte da equipe continue trabalhando de dentro de suas casas", avalia.

Empresas buscam soluções para o relacionamento remoto
Fabio Miranda, head de vendas da Hi Platform, plataforma digital para o relacionamento com o consumidor, e que acompanha o projeto na Cruzeiro do Sul, conta que a procura por tecnologia para o relacionamento digital aumentou consideravelmente, sobretudo pela necessidade do trabalho remoto. Nessa quarentena, mais de 70% das empresas que estão entrando em contato conosco são para acelerar o processo de digitalização do relacionamento com seus consumidores", explica Miranda.

"Acredito que esse é um caminho sem volta. Uma mudança que será a nova realidade. A maioria dos consumidores está vivenciando o digital e entendendo que ele pode facilitar, e muito, o seu dia a dia. A experiência de agora é uma ruptura para uma nova forma de atender", completa o executivo.

Pode te interessar

Será que precisava de uma pandemia para impulsionar a transformação digital no relacionamento com cliente?

2020: o que esperar para o mercado de relacionamento com o consumidor