Diante da medida da Prefeitura Municipal de São Paulo em antecipar cinco feriados para conter a escalada da pandemia na capital, o Sintelmark, que representa as empresas especializadas nas relações com clientes no estado paulista - segmento que emprega expressivo volume de profissionais e é responsável por prestar serviços de suma importância à sociedade - ressalta que, devido a essencialidade da atividade, não pode haver descontinuidade dos serviços, visto os inúmeros benefícios que proporciona à população.

O contact center é responsável por respaldar a população que necessita de atendimento e acesso a serviços de emergência prestados em áreas como saúde, segurança, energia, telecomunicação e de informações em geral, e não pode ser desamparada nessas áreas essenciais.

Visto isso, o Sindicato Patronal tem orientado e preconizado a implantação dos Planos de Contingência em conformidade com as determinações dos órgãos competentes, como a Organização Mundial de Saúde (OMS), Ministério de Saúde e secretarias de saúde municipais e estadual, com o objetivo de garantir a proteção à saúde e a continuidade dos serviços essenciais. Por tanto, o setor atua com todas medidas protetivas para minimizar os impactos do coronavírus (COVID 19), inclusive adesão do regime home office, oferecendo toda estrutura necessário para que os colaboradores possam manter a excelência do trabalho mesmo de suas casas, privilegiando a segurança e a saúde de todos.

"Apesar do momento delicado pelo qual estamos passando como sociedade, as empresas associadas ao Sintelmark sabem o quanto os consumidores precisam dos nossos serviços de atendimento. Temos adotado, todas as medidas de proteção necessárias para que os nossos colaboradores possam continuar trabalhando, de forma segura, sem deixar os consumidores desamparados.", explica Laurent Delache, diretor administrativo e social do Sintelmark.

Sendo um segmento reconhecido pelo seu papel preponderante e de grande protagonismo nas operações empresariais, permanecemos atentos e em contato com os órgãos da União, Estados e Municípios para implantar todas as medidas efetivas que preservem o emprego de milhares de trabalhadores do setor: homens, mulheres, jovens e, especialmente, os que estão no seu primeiro emprego. Temos incentivado a adaptação da operação para mitigar os impactos sociais, de saúde e econômicos oriundos da atual contingência.

Permanecemos à disposição das autoridades, entidades da sociedade civil, contratantes e agentes do setor privado para avaliar e progredir com as medidas de combate e mitigação do coronavírus em nosso país, certos de que vamos superar o desafio com a participação e compreensão de todos.